Criminoso que fez reféns ficou 1 mês em presídio e foi liberado


06/04/2019 01h49 | Por: Maisteixeira/Fonte Ascom/ SSP BA

Eric dos Santos Batista, 24 anos, preso em dezembro de 2018 após fugir e fazer reféns em um posto de saúde, no Nordeste de Amaralina, e solto por ordem judicial depois de ficar um mês no presídio, voltou a cometer os mesmos crimes. Desta vez, ele e mais cinco comparsas fugiram de uma abordagem das Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico, na tarde desta quinta-feira (4), e se esconderam em um imóvel.

Foto:
Foto: SSP/BA

Dentro da casa, no final de linha do Vale das Pedrinhas, mãe e duas filhas foram feitas de reféns por Eric, Wendel Matos de Almeida, 24, Rodrigo Santana Santos, 18, Paulo Roberto Nascimento dos Santos, 25, e dois adolescentes.

De 16h30 até 19h30 equipes da Rondesp Atlântico, 40a CIPM (Nordeste de Amaralina) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) negociaram com o sexteto e garantiram que as vítimas saíssem ilesas. Um helicóptero do Grupamento Aéreo (Graer) deu apoio na ação.

Com eles foram apreendidos três pistolas, sendo uma israelense e outra chinesa calibres 9mm e uma fabricada no Brasil, calibre 40, pertecente à Polícia Rodoviária Federal. A suspeita é de que o armamento era do policial Marcelo Caribé de Carvalho, vítima de um latrocínio em 2015, na Pituba. Carregadores, munições e drogas completam a lista de materiais localizados.

O caso foi registrado na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), pois dois reféns eram menores, e na Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), pois dois autores também tinham menos de 18 anos.

“Parabéns a todos os militares envolvidos nesta ação exitosa, com a preservação das três vítimas. Importante a sociedade valorizar o trabalho da polícia”, declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.