Semana de Museus destaca a cultura do sertão da Bahia


15/05/2019 01h34 | Por: Maisteixeira/Fonte Secom

Palestras, mostras culturais, oficinas de pinturas e exibições de filmes. Essas são algumas das atrações que fazem parte da 17ª Semana Nacional de Museus, realizada nos espaços do Instituto de Patrimônio Cultural da Bahia (Ipac) até o próximo domingo (19). As atividades são gratuitas e abertas a todos, garantindo uma oportunidade para que o público baiano possa conhecer mais profundamente a cultura do estado.

“O tema desta edição é ‘A Cultura do Sertão da Bahia nos Museus do Ipac’. A ideia foi contemplar também cidades do interior e valorizar as tradições sertanejas. Queremos aproveitar essa semana, que é comemorada nacionalmente, para atrair um público cada vez maior para ocupar esses espaços tão importantes e apresentar coleções sobre a cultura e história para quem visitar nossos espaços”, explica a coordenadora da Diretoria de Museus do Ipac (Dimus), Fátima Santos.

Em visita à capital baiana, o paulista João Carlos Neri se encantou com a escolha do tema. “É um assunto muito importante, principalmente para as crianças. É uma forma de conhecer mais e melhor a história de nossa gente do interior. É uma proposta valorosa colocar essa cultura que nem sempre tem tanto espaço como figura central de um conjunto de mostras de museus. Quero visitar todas essas exposições”, afirma.

Os museus geridos pelo Ipac e que fazem parte programação especial são: Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Museu Tempostal, Centro Cultural Solar Ferrão e Laboratório de Educação Digital (LabDimus), localizados no Pelourinho; Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), no 2 de Julho; Museu de Arte da Bahia (MAB), no Corredor da Vitória; Palacete das Artes, na Graça; além do Museu do Recolhimento dos Humildes, em Santo Amaro; e do Parque Histórico Castro Alves, localizado em Cabaceiras do Paraguaçu, onde nasceu o poeta.

Programação

Entre os destaques, o Museu Geológico da Bahia, no Corredor da Vitória, oferece uma série de palestras sobre a história do estado. “O objetivo é fazer um apanhado dessa história geológica tão rica. Entre os temas abordados estão a geomorfologia de Salvador e a maneira como a cidade foi remodelada ao longo dos anos. Temos palestrantes especialistas aqui da Bahia e membros da Universidade Federal da Bahia”, destaca o coordenador do Museu Geológico, Heli Sampaio.

No Pelourinho, o Museu Tempostal coloca as tradições do sertão em destaque com a exposição ‘Canudos: cultura em movimento’. A mostra reúne, no primeiro módulo, fotos sobre o histórico conflito que envolveu o Exército Brasileiro e membros da comunidade liderada por Antônio Conselheiro, em Canudos. As imagens são do acervo de Flávio de Barros, único registro fotográfico de um dos mais importantes acontecimentos da história do Brasil, nas últimas semanas do conflito armado, em 1897, quando o fotógrafo acompanhava a comitiva do Ministério da Guerra. A programação completa pode ser conferida no site do Ipac.